Sábado, Julho 13, 2024
InícioSAÚDECLDF homenageia doadores de sangue e profissionais de saúde

CLDF homenageia doadores de sangue e profissionais de saúde

Por Joás Benjamin 

Em homenagem ao Dia Mundial do Doador de Sangue, a Câmara Legislativa do Distrito Federal realizou solenidade no plenário nesta quarta-feira (14). A sessão foi presidida pelo deputado Jorge Vianna (PSD) que deu início aos discursos evidenciando a doação de sangue como ato de amor. O parlamentar citou que junho é o mês da conscientização para doação de sangue, e a data de 14/6 é o dia mundial do doador de sangue em homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner, cientista austríaco que descobriu fator RH e as várias diferenças entre os tipos sanguíneos

“Queremos aproveitar esse dia especial para agradecer e prestar a homenagem a todos e todas que, ao menos uma vez na vida, doaram sangue. O singelo esforço de passar alguns minutos em um hemocentro pode fazer a diferença entre a vida e a morte para muitas pessoas e gera a sensação de fazer o bem de forma natural.”.

Segundo o parlamentar, a sessão solene tinha intuito de mobilizar pessoas para a doação de sangue como um hábito. O deputado também reforçou que o DF tem uma lei que isenta taxa de concurso público a quem doar ao menos três vezes no ano

“Não é preciso muito para quem quer doar. Quem tiver entre 16 e 69 anos, pesar mais de 51 kg, estar com bom estado de saúde e não se enquadrar nas causas impeditivas já pode doar. A demanda dos bancos de sangue é perene e nunca acaba e hoje, 14 de junho de 2023, os estoques de sangue estão baixos.”

Jorge parabenizou as ações do Hemocentro em firmar acordos com outros órgãos e instituições que facilitem e impulsionem o preenchimento do banco de sangue público, além de parabenizar os servidores da CLDF pela campanha para doação de sangue.

“A campanha, dos servidores da CLDF, está sendo um sucesso com alta adesão mostrando que não há esforços quando o assunto é solidariedade. Não poderia encerrar essa minha fala sem deixar o meu abraço a todos os servidores de saúde que fazem a ‘roda do sangue’ girar no DF e aos meus colegas do hemocentro que tenho maior apreço e admiração.”, concluiu.

O presidente da fundação Hemocentro de Brasília, Osnei Okumoto, enalteceu os servidores de saúde e doadores do Distrito Federal e do Entorno e enfatizou o trabalho de modernização do banco de sangue público.

“Nós evoluímos em várias questões, desde a mudança de toda a parte estrutural de funcionamento das aquisições e da parte administrativa do Hemocentro. Tudo isso é para que a fundação seja moderna e ofereça o melhor para os nossos doadores e nossos pacientes, principalmente, no que tange à qualidade na segurança de ambos.”.

O presidente do Hemocentro também trouxe dados que evidenciam um aumento de doações justificadas pela aquisição do ônibus que vai até possíveis doadores, além das parcerias com as regiões administrativas e deputados.

“Das doações, 48% vem de mulheres e 52% de homens, além de muitos jovens que desejam doar altruisticamente. Nós tivemos um aumento em 2022 de 44,2% dos nossos doadores cadastrados que doaram mais de uma vez no ano e nossa meta agora é atingir 45% na campanha deste ano que tem como tema ‘Doe Sangue, doe vida, doe sempre’.” disse.

“O sangue é vida e o sangue doado é uma injeção de vida. Eu, junto aos colegas médicos, biomédicos e profissionais de assistência hemoterapêutica enxergamos especialmente nos doadores a importância de todos os indivíduos para poder fornecer o sangue à pacientes doentes e quantas vidas são salvas.” disse Luiz Guilherme Cruz Azevedo, Médico hematologista representante da Secretaria de Saúde do DF.

O especialista reafirmou que mesmo com a tecnologia dos dias atuais, as indústrias de saúde não conseguiram sintetizar o sangue humano. Luiz reforça que a doação é essencial para fazer a diferença, na maioria, para quem está entre a vida e a morte.

“O sangue é um tecido maravilhoso, bastante complexo e um produto nobre devido a todas as suas funções e suas complexidades. É ele quem nos protege de infecções, sangramentos, e fornece oxigênio para nossos órgãos.” afirmou. 

Também esteve presente na Sessão, um dos maiores doadores de sangue do DF. Caio Júnior afirma que as doações o fizeram ter vários amigos e contribuir para salvar vidas.

“Faço questão de frisar a importância da doação e que ela pode salvar até quatro vidas ou salvar um único paciente que, devido a problemas mais graves, precisa de várias bolsas de sangue durante um procedimento.” concluiu

Antes da entrega de moções de louvor e finalização do evento, Wilson Santos, facilitador de centro de educação integrada “Amigos da Vida”, expressou como seu trabalho é impulsionado graças ao hemocentro.

“Como facilitadores nós já fazemos um pequeno filtro que ajuda os nossos colaboradores do hemocentro a pré-triagem e a triagem. Separamos as pessoas em quem não pode doar, mas em momento seguinte, ou em outra época, pode. Também atuamos em levar grupos das cidades satélites aos centros de recolhimento para doação. Ser facilitador é multiplicar a possibilidade do Hemocentro alcançar mais pessoas.” explicou

Wilson cobrou do Governo e dos parlamentares maior suporte para a organização, Amigos da Vida, para que possam ampliar a atuação, e consequentemente doação.

“Hoje temos dificuldades, com o transporte que está sendo suprido pelo apoio do Hemocentro, e nós trabalhamos com igrejas, comércio e servidores públicos. Estamos tentando melhorar isso, buscando o apoio de legisladores que se importam e trabalham a favor da saúde para continuar salvando vidas e se importando com aqueles que mais necessitam.”.

VEJA TAMBÉM
- Advertisment -

RECENTES