Home SAÚDE Como é feita a avaliação para o tratamento da calvície?

Como é feita a avaliação para o tratamento da calvície?

0
60

A definição do melhor tratamento capilar a ser seguido depende diretamente de uma boa avaliação especializada, pois apenas com o diagnóstico correto é possível identificar fatores como a evolução e gravidade do quadro e assim determinar a abordagem mais apropriada.

A mesma regra que se aplica a outras condições de saúde também é válida para a calvície: o diagnóstico precoce é fundamental para maiores chances de resposta ao tratamento. Entenda melhor a seguir.

Quais os indícios de calvície?

Os primeiros sinais da calvície podem ser observados pelo paciente, o que permite buscar auxílio médico logo no início e iniciar um tratamento mais cedo.

Em geral, a perda de cabelo tem início entre 30 e 40 anos, consistindo em casos de evolução mais lenta. Entretanto, algumas pessoas identificam a rarefação capilar em torno dos 18 anos. Esses casos costumam ser mais severos e com maiores chances de evoluir para quadros mais extensos de calvície.

Independentemente da idade de início, as primeiras manifestações incluem:

● dificuldade para pentear o cabelo, com alguns penteados deixando o couro cabeludo evidente;

● couro cabeludo aparente com o cabelo molhado;

● redução do volume capilar;

● entradas na região das têmporas.

A principal causa de calvície masculina é a alopecia androgenética, que como o próprio nome diz, é uma condição determinada pela ação de hormônios masculinos em pessoas com tendência genética.

A perda de cabelo causada pela alopecia masculina acomete principalmente o topo da cabeça.

Quando os primeiros sinais da rarefação capilar acometem o topete ou as entradas fica fácil de se notar ao se olhar no espelho.

Mas quando a perda de cabelo se dá na coroa, é geralmente percebida primeiro por amigos e familiares, sendo mais difícil de ser vista pelo próprio paciente.

Casos avançados de alopecia androgenética incluem extensas áreas calvas, especialmente na parte superior da cabeça, deixando fios apenas nas laterais e na nuca.

Para evitar essa evolução, é importante que ao observar os primeiros indícios da calvície o paciente busque quanto antes o auxílio médico especializado para diagnóstico e tratamento.

Como é feita a avaliação da calvície?

A avaliação especializada da calvície é fundamental para ser feito o diagnóstico correto da condição e definido o melhor plano de tratamento para se ter maiores chances de sucesso terapêutico.

Apesar de o padrão de perda de cabelo da alopecia androgenética ser bastante característico, ela não é a única causa de queda de cabelo em homens e mulheres.

Quedas de cabelo mais abruptas também podem ser devido à alopecia areata ou eflúvio telógeno, por exemplo.

Dessa forma, a avaliação especializada garante que não haja equívocos quanto ao diagnóstico.

Na primeira etapa da avaliação médica é feita a anamnese e exame físico. Nesse momento é importante obter dados da história do paciente como sintomas e histórico familiar.

O especialista também pode recorrer a instrumentos ópticos para realizar o exame de tricoscopia, que permite analisar o couro cabeludo e a haste capilar, identificando aspectos do fio, como espessura e estrutura da haste, além do aspecto do couro como a presença de sinais inflamatórios  e outros.

A partir disso, é possível identificar alterações características da alopecia androgenética, como a miniaturização do fio. Nesse processo característico, o fio vai se tornando mais fino nas regiões acometidas do que nas demais partes.

Com base nos dados coletados durante a anamnese e exame do paciente, o médico consegue identificar o grau de comprometimento da calvície masculina.

Essa etapa é importante para definir as chances de recuperação do cabelo e tratamento mais apropriado.

Também pode ser solicitada a realização de exames laboratoriais de sangue que permitem ter uma visão completa do estado de saúde do paciente.

Tratamento da calvície

Após a avaliação especializada, com suporte dos exames específicos, o especialista apresenta ao paciente as opções de tratamento para calvície.

Atualmente, existem diferentes abordagens para controle e até reversão da calvície, como medicamentos orais, tópicos, injetáveis e uso de tecnologia. A duração do tratamento, assim como a abordagem apropriada, vão depender diretamente do grau de rarefação capilar.

Nos quadros de calvície masculina avançada, com grande comprometimento capilar, tais métodos apresentam resultados limitados. Nesses casos, o especialista pode indicar o transplante capilar, alternativa cirúrgica que quando bem indicada pode entregar resultados satisfatórios na reconstrução do cabelo.

A avaliação médica é indispensável para verificar as melhores opções entre as abordagens cirúrgicas e não cirúrgicas de tratamento da calvície masculina, viabilizando um processo e resultado mais satisfatórios.