Terça-feira, Maio 7, 2024
InícioBRASILLeitura da Carta reúne Brasil em torno da defesa da democracia

Leitura da Carta reúne Brasil em torno da defesa da democracia

Um som ecoou do Prédio Histórico da Faculdade de Direito da USP, no Largo de São Francisco. O momento de repúdio aos ataques à democracia brasileira, levou a SanFran a tomar seu lugar histórico de defesa às garantias jurídicas e constitucionais.

No Pátio das Arcadas, tomado por signatários da Carta de 1977, representantes de todas as áreas da sociedade civil, jornalistas, estudantes, professores, empresários e tantos outros profissionais, a leitura da “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros – Estado Democrático de Direito Sempre” deixou claro que não há mais espaços para retrocessos.

No evento, transmitido por emissoras de rádio e de televisão, pelo canal do YouTube da FDUSP, as professoras Eunice Prudente, Ana Elisa Liberatore Bechara e Maria Paula Dallari e o jurista Flávio Bierrenbach leram o documento, que está perto de alcançar a marca de 1 milhão de signatários, enquanto a plateia acompanhava o ato dentro e fora do Edifício. O Largo lotou, por milhares de pessoas.

Neste ato, a primeira fala coube a presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto, Manuela Morais. “Não há dúvidas do marco histórico que a presença de cada um aqui representa. Como a primeira entidade estudantil fundada no Brasil, consideramos que era preferível que não houvesse, após 45 anos, a necessidade de uma nova Carta aos Brasileiros”, disse.

Primeiro momento

A manifestação foi dividida em dois momentos. A primeiro, no Salão Nobre, com a leitura do Manifesto em Defesa da Democracia e da Justiça, articulada pela Federação da Indústria do Estado de São Paulo, com 107 entidades.

Ex-ministro da Justiça, José Carlos Dias leu o texto do primeiro ato, destacando a união de empresários e trabalhadores em defesa da democracia. “Hoje é um momento inédito em que capital e trabalho se unem em defesa da democracia”, ressaltou.

Os trabalhos no Salão Nobre foram abertos pelo Reitor da Universidade de São Paulo, Carlos Gilberto Carlotti. “Estamos aqui para defender a legislação eleitoral, a justiça eleitoral e o sistema eleitoral, com as urnas eletrônicas. Que a vontade do povo brasileiro seja respeitada e seja soberana”, disse.

Ao encerrar o primeiro ato, Celso Fernandes Campilongo, diretor da Faculdade de Direito da USP, lembrou a movimentação em torno da defesa da democracia e fez aproveitou para homenagear o professor Sênior da FDUSP José Afonso da Silva. “Em nome de todas as pessoas quero fazer uma homenagem muito singela a um dos maiores professores e constitucionalista do Brasil. Alguém que sabe muito bem o que é o sistema eleitoral, quais são as instituições que regulamentam, finalizam e tem competência para declarar quem venceu as eleições, alguém que conhece bem o sistema eleitoral brasileiro”, disse. (Kaco Bovi)

SourceUSP
VEJA TAMBÉM
- Advertisment -

RECENTES