Quarta-feira, Maio 8, 2024
InícioSAÚDEPrograma de residência médica no DF estimula trabalhos em saúde mental

Programa de residência médica no DF estimula trabalhos em saúde mental

Para promover os trabalhos feitos pelos residentes da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências de Saúde (Fepecs), o Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Adulto organizou nesta segunda-feira (12) a apresentação de projetos no auditório da fundação.

No evento, os alunos puderam demonstrar experiências positivas nos 15 locais em que o projeto atua | Foto: Tony Winston/Agência Saúde

As apresentações foram feitas na Jornada Acadêmica do programa de residência, que ocorre anualmente. Neste ano, o tema foi Construindo o Cuidado no SUS: práticas exitosas, estratégias e desafios. Esta foi a primeira edição presencial desde o início da pandemia de covid-19.

“Apresentamos aqui ideias e projetos que eles já vivem nos seus locais, há troca de experiência, de conhecimento e de informação”Andressa de França Alves, coordenadora do programa

O evento teve participação dos alunos, de usuários da rede e de professores que puderam demonstrar experiências positivas nos 15 locais em que o projeto atua. No momento, o programa de residência é desenvolvido em cinco unidades básicas de saúde (UBS), quatro Centros de Atenção Psicossocial (Caps), três Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), dois hospitais e uma policlínica.

Aluna do programa de pós-graduação da Fepecs e participante do programa, a nutricionista Raquel Cruz, de 27 anos, destacou o caráter multidisciplinar do evento. “Há o link entre nutrição e a saúde emocional quando a gente pensa no ‘comer ansioso’ ou na supressão alimentar em casos emocionais”, exemplifica a estudante. Para ela, o evento é uma forma de agregar conhecimento para um aspecto que não é tão focado dentro da graduação.

De acordo com a coordenadora do programa, a enfermeira da Secretaria de Saúde Andressa de França Alves, o projeto atende à prática de qualificação do trabalho desenvolvido na residência.

“Apresentamos aqui ideias e projetos que eles já vivem nos seus locais, há troca de experiência, de conhecimento e de informação”, afirma a profissional. “A gente qualifica os alunos, que devolvem na prática para o Sistema Único de Saúde.”

Um dos projetos apresentados foi o de desenvolver artesanato com os pacientes do Caps. A venda dos produtos vira renda para os usuários. Outro exemplo contou com a apresentação do grupo Maluco Voador, que usa a música para acolher os pacientes.

[xyz-ihs snippet=”PD-NAS-REDES”]

VEJA TAMBÉM
- Advertisment -

RECENTES