Sábado, Julho 13, 2024
InícioDestaquesTécnicos de Enfermagem da rede privada do DF aprovam em assembleia proposta...

Técnicos de Enfermagem da rede privada do DF aprovam em assembleia proposta do piso salarial

Na quinta-feira (14/dez), os profissionais de enfermagem da rede privada do DF aprovaram, em assembléia, do Sindicato dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem do DF (Sindate), proposta enviada pelo Sindicato Brasiliense de Hospitais – Casas de Saúde e Clínicas (SBH), em relação a implementação do piso salarial da enfermagem.

A proposta, estabelece os termos definidos pela Lei 14.434/2022, a ser pago em três parcelas. A primeira, correspondente a 50%, para janeiro de 2024; a segunda, de 25%, para julho e e última (25%), a ser efetuada em dezembro de 2024.

A categoria aprovou ainda um reajuste de 13,7% sobre o auxílio-refeição, com valor mínimo do benefício de R$ 25,00, contados a partir da assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho.

Ao Política Distrital (PD), o diretor do Sindate-DF, Newton Batista, aponta que a categoria chegou em um bom acordo, se considerado a resistência por parte de entidades patronais em relação a implantação do piso salarial na Rede Privada. “Foi um processo lento, de muita negociação, mas ainda que parcelado em três parcelas, o que não consideramos o melhor dos acordos, por outro lado, conseguimos manter a garantia de todos os direitos dos trabalhadores previstos na lei do piso nacional da enfermagem.”, disse Batista.

Para o diretor que preside a União Geral dos Trabalhadores (UGT), no DF, que criticou a ‘colcha de retalhos’ da Lei 14.434/2022, por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), o sucesso da implantação do piso salarial da Enfermagem, está nas mãos dos trabalhadores, que precisam de sindicatos atuantes para “buscar” a implementação da lei, com o mínimo prejuízo aos trabalhadores.

“Apesar de o STF ter transformado nosso piso salarial nessa colcha de retalhos que o Política Distrital tem abordado com precisão, isso coloca a responsabilidade da união dos trabalhadores e, sobretudo, da atuação dos sindicatos para baterem de frente com os patrões de modo a chegarem em acordos com tentem garantir a integralidade do que está previsto na lei para essa categoria tão sofrida.”, completou Batista.

Na mesma linha, o deputado distrital, Jorge Vianna (PSD), comentou a vitória dos trabalhadores. Sindicalista e egresso da Enfermagem, o parlamentar lembrou que o DF passou por 15 propostas por parte dos patrões, negadas pelos trabalhadores, até que se chegasse a um acordo. Nas palavras de Vianna, graças ao STF.

“Foram 15, propostas realizadas por parte do sindicato dos patrões. Isso mostra o nível de dificuldade que os profissionais de enfermagem estão a enfrentar, em todo o Brasil, por conta do que o STF transformou a lei do piso salarial da Enfermagem. Mas é isso que a categoria tem nas mãos e a Enfermagem isso mostra a importância de os profissionais de Enfermagem se unirem com os Siindicatos para garantir a implementação do piso sem perda aos trabalhadores.”, disse Vianna.

VEJA TAMBÉM
- Advertisment -

RECENTES