Quinta-feira, Maio 9, 2024
InícioDestaquesPor recomposição salarial, servidores de nível médio protestam no DF

Por recomposição salarial, servidores de nível médio protestam no DF

Cerca de 200 servidores participaram de uma manifestação em frente ao Palácio do Buriti na manhã desta terça-feira (5/4). O ato organizado por trabalhadores do nível médio ocorreu de forma unificada, com a participação de seis entidades sindicais.

As categorias tentam negociar uma recomposição inflacionária de cerca de 10% dos salários com o Governo do Distrito Federal (GDF) — o impacto do reajuste é estimado em R$ 170 milhões. Para lideranças sindicais, a Lei Eleitoral não interfere nesse modelo de pagamento. Desde a última segunda (4/4), o GDF não pode conceder aumentos a servidores.

Ainda na segunda-feira, houve outro ato, mas na Câmara Legislativa do DF (CLDF). Participaram da manifestação as seguintes entidades: Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate), Sindicato dos Agentes de Vigilância Ambiental em Saúde e Agentes Comunitários de Saúde do Distrito Federal (SindiVacs), Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Direta, Autarquias, Fundações e Tribunal de Contas do DF (Sindireta), Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Saúde Bucal do DF (Sintasb), Associação dos Técnicos em Laboratórios e Associação dos Servidores Públicos em Saúde do DF (ASA-DF).

Para Isa Leal, diretora do Sindate, todos os sindicatos do nível médio foram preteridos na questão do reajuste. “A gente merece esse reconhecimento, essa valorização. Somos a maior força de trabalho da Saúde, com mais de 12 mil técnicos em enfermagem”, alega. A diretora reforça que a concessão de uma recomposição inflacionária é permitida em época eleitoral. “O que estamos pleiteando não é nada ilegal”, completa.

“Percebemos que luz, água, gás, gasolina e custo de vida estão aumentando, mas o salário dos servidores está congelado há, pelo menos, 7 anos. Estamos batalhando, justamente, pela recomposição salarial”, conta Rennê Souza, diretor de imprensa do Sindireta.

Ainda durante o ato, uma comissão dirigiu-se ao Palácio do Buriti para tentar uma negociação com o governador Ibaneis Rocha (MDB), mas não foi recebida pelo líder do Executivo local.

Metrópoles entrou em contato com o GDF e aguarda retorno. O espaço segue aberto a manifestações.

VEJA TAMBÉM
- Advertisment -

RECENTES