Quinta-feira, Maio 9, 2024
InícioSAÚDESindate repudia retaliações e demissões de profissionais de Enfermagem por participar de...

Sindate repudia retaliações e demissões de profissionais de Enfermagem por participar de paralisação no DF

Por Kleber Karpov

O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), publicou nesta sexta-feira (13/Set), Nota de Repúdio, em decorrência de retaliações e, até, demissões, de profissionais de Enfermagem. O sindicato aponta que punições ocorrem a trabalhadores por participar de paralisação, em protesto contra suspensão, por 60 dias, pelo Supremo Tribunal Federal (STF)(20/Set), dos efeitos da Lei nº 14.314/2022, que instituiu o piso salarial da categoria, sancionada em 16 de setembro. 

Em nota, o Sindate-DF lembrou que a paralisação se tratou de um ato nacional, e defendeu o direito dos profissionais de enfermagem, de participar de movimentos em defesa da dignidade profissional ou de melhores condições de trabalho. “O Sindate repudia toda e qualquer forma de retaliação contra os profissionais de enfermagem, principalmente quando estão exercendo seu direito, já que o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem garante o direito dos profissionais de enfermagem de apoiarem e participarem dos movimentos de defesa, de dignidade profissional e também de reivindicar por melhores condições de trabalho.”

Confira a nota na íntegra

O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) vem a público repudiar as penalidades que alguns técnicos em enfermagem têm sofrido por terem aderido à paralisação em prol do Piso Salarial da Enfermagem que aconteceu na última quarta-feira (21/09). 

O movimento foi de âmbito nacional, e profissionais de diversos estados ficaram paralisados por 24h com o objetivo de  mobilizar o Congresso Nacional para votar o projeto que indica as fontes de custeio do Piso Salarial da Enfermagem. É importante ressaltar que a aplicabilidade do piso foi suspensa por 60 dias pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

Neste dia, o Sindate também realizou a 4ª Marcha da Enfermagem, que levou mais de 10 mil profissionais da enfermagem para frente do Congresso Nacional. No entanto, chegou ao conhecimento da instituição que após a paralisação, alguns profissionais estão sofrendo represálias, como demissões, por terem participado do movimento.

O Sindate repudia toda e qualquer forma de retaliação contra os profissionais de enfermagem, principalmente quando estão exercendo seu direito, já que o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem garante o direito dos profissionais de enfermagem de apoiarem e participarem dos movimentos de defesa, de dignidade profissional e também de reivindicar por melhores condições de trabalho. 

A diretoria do sindicato garante que tentará negociar para que nenhum técnico em enfermagem saia prejudicado por conta da paralisação.


Política Distrital nas redes sociais? Curta e Siga em:

YouTube | Instagram | Facebook | Twitter

VEJA TAMBÉM
- Advertisment -

RECENTES